Indicadores-chave para mensurar aspectos técnicos e econômicos da atividade leiteira

 

 

Dentre os indicadores usados para mensurar aspectos técnicos e econômicos da atividade leiteira existem aqueles considerados indicadores-chave. São assim chamados porque a partir deles é possível entender diversos processos que envolvem a atividade, possibilitando mapear os pontos de melhoria dentro da fazenda de forma ampla. Um desses é o indicador “Produção / Área para a pecuária (litros/hectare/ano)”. Você sabe quantos litros de leite precisaria produzir anualmente, em suas condições atuais (custos, margens, tamanho da propriedade, etc.), para atingir resultados economicamente atrativos?

A terra é o recurso de maior impacto no capital empatado da propriedade, representando cerca de 55% do capital médio total. Portanto, deve ser explorada de maneira eficiente, de forma a possibilitar que a atividade seja rentável e atrativa. É essencial que o manejo de forrageiras, tanto em termos de produtividade quanto de qualidade, seja bem feito. Lembre-se: todo bom pecuarista deve ser um bom agricultor. Outro ponto de atenção é ter um estoque equilibrado de rebanho, com uma porcentagem adequada de vacas em lactação em relação ao rebanho e em relação ao total de vacas, visto que a eficiência do uso da terra está atrelada à produção de leite desses animais.

O valor da terra nua é extremamente variável em relação à localização, sendo assim, o ideal é que a interpretação da eficiência do uso da terra seja regionalizada. Abaixo, foi feita uma simulação utilizando os resultados médios do desempenho de 522 fazendas participantes da Plataforma Educampo, estratificando-as entre as regiões do estado de MG, com o objetivo de obter a produção mínima de leite por hectare para conseguir uma taxa de remuneração do capital com terra de 10% ao ano, considerando o preço médio da terra nua e margens médias das fazendas por região.

 

Tabela 1 – Simulação de comportamento do indicador “Produção/Área para pecuária (litros/hectare/ano)” nas diferentes regiões do estado de Minas Gerais.

 

 

 

Fonte: Sebrae Minas. 522 fazendas atendidas pela Plataforma Educampo. Dados de junho/20 a maio/21, corrigidos pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) de junho/2021.
* Preço médio do hectare das fazendas atendidas pela Plataforma Educampo em cada região. ** Valores simulados.

 

É importante ressaltar que não é apenas o preço da terra que deve ser levado em consideração no cálculo da eficiência no uso da terra. Outros aspectos devem ser ponderados, tais como: volume de produção de leite diário, preço do leite e custo operacional total, ou seja, fatores que compõem o resultado de margem líquida. Com margens unitárias maiores, tolera-se menor produção por área para se obter a rentabilidade de 10% ao ano. Isso explica, por exemplo, o fato das fazendas da região do Rio Doce/Jequitinhonha serem as de menor necessidade de produção por hectare, mesmo não tendo o menor preço da terra nua. Além disso, vale reforçar que esses valores são reflexos dos resultados e características atuais da atividade na região, qualquer modificação nas variáveis em análise o cenário seria alterado.

Além disso, há uma grande influência do sistema de produção adotado no resultado da eficiência no uso da terra. Propriedades que utilizam sistemas que necessitam de maior infraestrutura, tendem a possuir o estoque de capital mais elevado e, consequentemente, precisam produzir mais leite por hectare para ter resultados eficientes (no exemplo, 10% de taxa de remuneração do capital com terra), como mostram os dados da Tabela 2, ainda que utilizem menor área para a atividade.

 

Tabela 2 – Simulação do comportamento do indicador “Produção/Área para pecuária” de acordo o sistema de manejo adotad

 

 

 

Fonte: Sebrae Minas. 438 fazendas atendidas pela Plataforma Educampo. Dados de junho/20 a maio/21, corrigidos pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) de junho/2021. *Valores simulados.

 

O indicador “Produção / Área para pecuária (litros/hectare/ano)” é um importante balizador da atividade, refletindo desde a eficiência na produção de forrageiras até o equilíbrio da estrutura de rebanho. No momento de avaliar a eficiência do uso da terra em sua propriedade e traçar as estratégias para a melhoria dos resultados, fique atento às variáveis por trás da análise, como custos de produção, margens, estoque de capital, escala de produção e preço médio da terra nua. Cada propriedade possui um valor mínimo a ser obtido visando uma atividade rentável e atrativa. Tendo como base os fatores discutidos acima, faça os cálculos, entenda a sua realidade e identifique os pontos de melhoria da sua propriedade.

 

    Assine nossa newsletter.
    Quero receber conteúdos sobre:
    Educampo
    Sebrae