Como balancear produtividade e rentabilidade na fazenda leiteira?

O foco no aumento de volume de leite produzido com o objetivo de aumentar a rentabilidade é uma prática comum. No entanto, simplesmente aumentar a produção total de leite, sem uma estratégia bem definida e sem calcular os impactos, nem sempre resultará em maior rentabilidade podendo, inclusive, ter impacto negativo. Nesse sentido, como balancear produtividade e rentabilidade? O que deve ser observado? Vamos discutir sobre isso neste conteúdo.

Abaixo, temos uma análise dos indicadores técnicos e econômicos médios de 189 fazendas participantes da Plataforma Educampo que registraram aumento na produção de leite nos últimos 3 anos. Elas foram divididas em dois grupos:

A: o aumento de produção gerou aumento de rentabilidade;

B: o aumento de produção gerou redução de rentabilidade.

Tabela 1 – Indicadores técnicos e econômicos médios de fazendas que tiveram aumento de produção nos últimos 3 anos, agrupadas pelo aumento ou redução na taxa de remuneração do capital com terra (% ao ano).

As fazendas que aumentaram a rentabilidade (Grupo A) conseguiram maior ganho de produtividade por vacas em lactação, refletindo em um ganho de eficiência e um melhor equilíbrio dos custos. Veja que ambos os grupos tiveram aumento dos custos com volumoso e concentrado por litro, mas mesmo com um aumento desses gastos, o maior ganho de produtividade das vacas refletiu em melhores margens. Isso fica ainda mais claro ao analisar o indicador de margem líquida por vaca em lactação (R$/vaca em lactação/ano).

Ainda sobre os custos com alimentação, as fazendas que reduziram a rentabilidade (Grupo B) aumentaram demasiadamente esses custos e o ganho em produtividade foi menos que proporcional ao aumento de custos, o que também pode ser percebido pelas relações entre custos com concentrado e volumoso com a renda bruta da atividade, que passou de 42% para 53,8%, sendo que no Grupo A foi de 44,3% para 43%. Ou seja, o problema não necessariamente é ter um custo maior, já que em ambos os grupos houve aumento das despesas com alimentação, mas sim, o equilíbrio entre despesas e receitas.

Outro indicador que reforça o ganho de eficiência é a lucratividade, que aumentou 97,6% no grupo com melhor resultado econômico e diminuiu 68,2% no grupo com pior resultado, o que é um reflexo da diferença quanto ao equilíbrio de custos, que também pode ser percebido pela relação entre o custo operacional total e o preço do leite.

Como é esperado ao aumentar o volume produzido, houve aumento na taxa de giro das fazendas, sendo um aumento de 29% nas fazendas do Grupo A e 16% no Grupo B. Porém, pode-se perceber que o aumento de produção em relação ao estoque de capital foi maior para o grupo em que houve aumento da rentabilidade. Essa diferença, aliada às diferenças nas lucratividades, refletiu no comportamento distinto da rentabilidade de um grupo para o outro. Isso mostra que mais do que apenas aumentar a produção de leite, isso deve ocorrer atrelado ao aumento da eficiência no uso dos recursos e com equilíbrio nos custos. Ou seja, aumentar a produção a qualquer custo pode ser desastroso do ponto de vista econômico.

Visto esses pontos, amigo(a) produtor(a), reflita com o seu(sua) consultor(a) especialista quais os melhores caminhos a serem seguidos para aumentar a rentabilidade da sua propriedade. E não deixe de acompanhar os conteúdos e toda inteligência gerada pela Plataforma Educampo, que pode ser uma grande aliada à melhoria dos seus resultados!

Até o próximo conteúdo!

    Assine nossa newsletter.
    Quero receber conteúdos sobre:
    Educampo
    Sebrae