CASE DE SUCESSO | Estratégias para sair do vermelho

Uma empresa que opera no prejuízo torna-se um imbróglio para qualquer gestor. Essa situação mina a capacidade de investimento e inviabiliza o crescimento da organização. Era esse o cenário vivido pelo produtor de São Sebastião do Rio Verde/MG, Joaquim Ribeiro de Souza, mais conhecido como Quinzinho. Sua propriedade, a Fazenda Bela Vista, onde produz leite há 48 anos, quase pereceu devido ao desequilíbrio da gestão. As contas estavam no vermelho, fator que quase fez o produtor desistir da atividade. Com manejo adequado dos lotes, melhoria da eficiência alimentar e investimento em genética, o produtor conseguiu aumentar a produção com lucratividade. 

Essa situação desconfortável já acometeu muitos produtores de leite no Brasil. E quando essa realidade está presente a principal estratégia é saber driblá-la e fazer o negócio crescer novamente. No caso da Fazenda Bela Vista, foram necessárias algumas ações do produtor e do consultor especialista do Educampo Sebrae, Carlos Augusto Siguinolfi. Medidas emergenciais que deram resultado e transformaram a propriedade em um modelo de produção de leite.

 

 

Para não parar a atividade e na tentativa de reverter o quadro dramático, Quinzinho chegou ao ponto de começar a vender áreas de sua propriedade para moradores da região, já que a fazenda fica bem próxima à zona urbana da cidade. “Ele estava descapitalizando para sobreviver”, lamenta Carlos Augusto. A produção média, na época, era de 180 litros/dia, volume insuficiente para cobrir os custos da propriedade. E um dos problemas da propriedade era alimentação inadequada das vacas, o que interferia na baixa média de produção por animal, de 7,14 litros.

No início dos trabalhos do Educampo Sebrae na propriedade, o consultor especialista realizou um diagnóstico identificando que o volumoso produzido na fazenda não era suficiente para a demanda energética do rebanho. A produção de silagem por hectare não passava das 22 toneladas. Para compensar a baixa oferta, o produtor comprava mais concentrado, o que aumentava ainda mais seus custos. “Esse gasto com o concentrado comprometia 45% da receita dele. Se considerássemos o volumoso esse valor subia para 58%”. Ou seja, mais da metade da receita da fazenda estava sendo direcionada apenas para a alimentação dos animais.

A falta de comida para as vacas era um problema seríssimo. De acordo com Cláudio, filho do senhor Quinzinho, eles forneciam capim e cana-de-açúcar para complementar a silagem. Cláudio é o responsável pelo plantio e manutenção da lavoura de milho e cuida com muita dedicação dos 30 hectares plantados atualmente. Antes, ainda segundo Cláudio, não havia planejamento das atividades, o que comprometia o bom andamento da gestão. “Agora temos comida para o ano inteiro”. As orientações técnicas e gerenciais provenientes da atuação do Educampo Sebrae foram essenciais para aumentar a produtividade da silagem, que atualmente é de 70 toneladas por hectare, suprindo os desafios com a produção de volumosos e, consequentemente, os impactos na alimentação do rebanho.

SPACE

Conheça neste vídeo mais detalhes da Fazenda Bela Vista:

 

Outro problema da propriedade era o manejo do rebanho, feito de forma equivocada. Não existia uma estratégia de divisão de lotes, o que comprometia a organização das atividades e a produtividade. Foram então, implementadas ações para organizar as vacas em quatro lotes distintos, realizando o arraçoamento dos animais de acordo com a exigência nutricional de cada grupo. Além disso, houve uma significativa melhora no fluxo de ordenha. “Agora o serviço está bem dividido, cada um tem sua função”, conta Luiz Cláudio, neto do senhor Quinzinho. Para Quinzinho, essa era uma situação angustiante. “Era muito difícil pra gente, pois não tinha organização nenhuma. A ordenha atrasava e o leite era tirado tarde”, conta. Após as mudanças na gestão, tudo mudou. “Agora é tudo no horário certo”.

Luiz Cláudio ajuda o avô na fazenda desde os seus 14 anos. A rotina é corrida, mas muito satisfatória. “Meu pai vai ser o sucessor, mas eu também pretendo continuar nesse ramo. A gente gosta do que faz”, conta. E pelo caminhar dos acontecimentos, o senhor Quinzinho continuará tendo a companhia do neto no dia a dia da fazenda. Mesmo casando em breve, Luiz Cláudio já está construindo sua casa bem próximo à sede da fazenda. “É no quintal de casa. A gente quase tropeça nas vacas”, fala sorrindo.

Atualmente, um dos pontos fortes da propriedade é a genética do rebanho. Como saída para alavancar o crescimento da propriedade, o filho Cláudio fez um curso de inseminação e a família investiu na melhoria do plantel. Foi também uma estratégia interessante, já que somado às outras estratégias, as vacas responderam mais facilmente e a fazenda voltou a ser eficiente. A produção média hoje é de 2.000 litros/dia, o que contribuiu significativamente para o aumento da lucratividade. Esse indicador é 20% atualmente. “Foi um crescimento orgânico do rebanho, sem compra de gado”, destaca Cláudio.

 

Quadro comparativo: evolução da Fazenda Bela Vista

 

FOTOS

 

As mudanças no perfil de gestão da fazenda proporcionaram ao produtor a possibilidade de voltar a investir em benfeitorias. Recentemente, ele implantou um sistema de energia fotovoltaica, um investimento de 190 mil reais que já está contribuindo para a diminuição dos gastos com energia elétrica, cujo custo chega a R$ 3.000,00/mês.  O que na verdade, vai garantir uma renda extra, já que a energia não consumida na propriedade poderá ser vendida para a empresa concessionária de energia.

Esta história nos mostra a necessidade de orientação técnica nas tomadas de decisões. De alguém com uma visão macro do negócio, entendendo a interdependência das áreas para a saúde financeira da empresa rural como um todo. Para conhecer de perto mais este case de sucesso, assista ao vídeo no nosso canal do YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=S_7iE9KVq6o&list=PL-LlsiT-1bb8PNVhtkB34IH0AHzGZiv5l&index=1) e entenda a importância da gestão estratégica e como a equipe do Educampo Sebrae fez parte desta história.

FOTOS