Em equilíbrio

 

 

 

 

A pandemia da COVID-19 trouxe consigo um cenário de incertezas, medo e insegurança. As variações de preço e custos refletem as interferências do cenário atual, como as variações do preço do dólar, exportações e importações, preços dos insumos, estoques, dentre outros tantos fatores. Mas felizmente, para o setor cafeeiro, observamos um cenário crescente no preço médio de venda do café, o que pode resultar em ganhos econômicos para aqueles produtores que conseguem associar bons preços com custos equilibrados.

Como forma de mensurar o equilíbrio entre os fatores de produção utilizados, o preço médio de venda e os índices de produtividade, podemos avaliar a quantidade de sacas a serem produzidas na propriedade. Deve-se considerar, também, a eficiência técnica e econômica atual, de modo que a receita gerada seja suficiente para cobrir todos os custos operacionais, as depreciações, o custo da mão de obra familiar e a remuneração do capital, ou seja, o custo operacional total e o custo total.

Desta forma, observamos, no Gráfico 1, os resultados do desempenho produtivo das propriedades atendidas pelo Educampo frente ao custeamento destes empreendimentos do setor.

 

Gráfico 1: Análise do Ponto de cobertura operacional (Sacas/hectare), Ponto de cobertura total (Sacas/hectare) e Produtividade (Sacas/hectare), por região

 

 

 

Fonte: Educampo/Sebrae, MG. Resultados obtidos no biênio 2017/2019, com amostra de 298 fazendas. Dados corrigidos pelo IGP-DI de janeiro/21

 

 

Ao analisarmos o último biênio, observamos bons resultados em produtividade, uma vez que foi possível cobrir o custo operacional total (COT) da atividade nas três regiões assistidas pelo Educampo. Isto significa que a renda gerada no biênio supera os custos operacionais totais e a atividade se torna, além de viável, atrativa economicamente.

A região do Sul de Minas foi a única região a não suprir os custos totais (CT), ou seja, obteve produtividade menor que a necessária para cobrir estes custos. Uma propriedade que mantem este cenário, no longo prazo, poderá não ser atrativa.

 

 

Gráfico 2: Análise da influência do Preço médio de venda Educampo (R$/hectare), Preço médio de venda Cepea (R$/hectare), Preço médio de venda últimos dias (R$/hectare), Ponto de cobertura operacional (Sc/hectare) e Ponto de cobertura total (Sc/hectare)

 

 

 

 

Fonte: Preço médio Educampo/Sebrae, Biênio17/19; Preço médio Cepea, análise dos seis últimos meses. Dados corrigidos pelo IGP-DI de janeiro/2021

 

 

Os dados do Gráfico 2 permitem a comparação entre a quantidade de sacas necessárias para cobrir os custos operacionais totais e os custos totais das três regiões, mantendo a mesma estrutura produtiva, oscilando apenas o preço médio de venda praticado. Nota-se que com o aumento do preço médio de venda, menor é a produtividade necessária para arcar com os custos deste empreendimento. Para contextualizar, supondo que o seu custo operacional total foi de R$ 10.000 por hectare e seu preço médio de vendas será de R$ 590 por saca, seria necessário a produção de 16,9 sacas por hectare para cobrir o COT.

Para prevenir os resultados econômicos negativos é necessário entender o mercado e analisar os indicadores da propriedade. O planejamento financeiro e as estratégias aplicadas na lavoura devem otimizar e equilibrar os resultados produtivos e econômicos.