CASE DE SUCESSO | Potência cafeeira do Cerrado Mineiro

Séculos atrás, a cidade de Patrocínio/MG, localizada na região do Alto Paranaíba, vivenciou tempos áureos durante o ciclo do diamante, já sendo reconhecida na época por suas riquezas. É que em seu território foi encontrado um famoso diamante, o Estrela do Sul, visado por muitos bandeirantes que por ali passavam. As pedras preciosas ficaram no passado, mas, hoje, essas terras continuam férteis e produtivas: delas brotam muitos produtos agrícolas, o principal deles o café, que movimenta a economia da região e coloca o município no topo do ranking da produção cafeeira do país. E é lá onde está o nosso Case de Sucesso deste mês. Confira a seguir.

SPACE

SPACE

Foi em 1994, na Fazenda Palmito, que o produtor Cassemiro Nunes dos Santos deu sequência ao trabalho dos seus pais e construiu um modelo de alta produtividade e rentabilidade na região do Cerrado Mineiro. Ele herdou uma fração da área original da propriedade, que foi dividida entre ele e os outros cinco irmãos. “Nosso pai soube conduzir muito bem esse processo [de sucessão] e meu deu a oportunidade de crescer”. Quando começou a produzir, Cassemiro tinha apenas 22 anos de idade e 3,5 hectares de terreno. Hoje, aos 47 anos, produz café em 50 hectares, incluindo terras próprias e arrendadas de outras fazendas próximas.

As lavouras de Cassemiro são cultivadas em sistema sequeiro e alcançam alta produtividade, com média de 59,5 sacas por hectare, no biênio que compreende as safras 16/17 e 17/18. Uma produção expressiva, com média no biênio 67% superior à dos produtores atendidos pelo Educampo na região do Cerrado Mineiro. Desde quando começou a ser atendido pelo Educampo Sebrae, em 2011, o ganho por safra cresceu em 11,88 sacas por hectare.

Segundo o consultor especialista e engenheiro agrônomo que atende a propriedade, Júlio César Ribeiro, isso se deve principalmente à condução adequada e idade média das lavouras, forma de adubação e eficiência no uso de insumos. Além disso, o planejamento de todas as ações é essencial pois têm grande impacto na produtividade e na expectativa de crescimento da propriedade.

A adubação via solo é feita com fertilizantes minerais e compostos orgânicos adquiridos da atividade leiteira, que também é explorada em sua fazenda, e dentro das especificações técnicas. “O Cassemiro não economiza em fertilidade do solo, segue todas as recomendações e cumpre efetivamente o cronograma de tarefas”, conta Júlio, ao afirmar que um dos pilares do sucesso gerencial é o bom relacionamento e parceria entre consultor e produtor.

Crédito: Orleno Filmes

A idade das lavouras é outro ponto forte da Fazenda Palmito. Os cafeeiros têm, em média, 7 anos, fator decisivo quando se fala em renovação das lavouras.

Todo esse investimento nas lavouras é revertido em bons resultados econômicos graças a eficiência produtiva. Mesmo com o custo por área plantada em torno de 20% acima da média das fazendas participantes do Educampo na região, a Fazenda Palmito consegue uma alta conversão dos insumos em produto final, diluindo o custo com a alta produtividade e mantendo uma alta rentabilidade. Por exemplo, o lucro no último biênio foi 2,72 vezes maior que a média das fazendas da região, e esse indicador cresceu 39,76% desde o início da participação da fazenda no Educampo.

SPACE

Crédito: Orleno Filmes

SPACE

Além do bom equilíbrio entre custo e produtividade, a fazenda Palmito também se destaca pelo baixo capital empatado em relação a quantidade de café produzida. Além de possuir áreas arrendadas, a fazenda é muito eficiente no uso dos maquinários e possui uma estrutura de pós colheita enxuta sem comprometer a qualidade final do café.

A estrutura reduzida atrelada à alta margem proporcionam ao produtor um menor prazo de retorno sobre os investimentos realizados na propriedade, como explica o consultor Júlio. “Por ter um capital empatado mais enxuto, principalmente pelo fato de arrendar parte da área destinada à produção de café, o retorno sobre o capital investido ocorre em torno de 5 anos, o que é considerado acima da média para a cafeicultura”, aponta.

Segurança na tomada de decisão

O produtor Cassemiro acompanha todas as atividades de campo e tem controle das rotinas da propriedade, assim como de todos os gastos. Com a visão geral de todo o seu negócio, o produtor se sente mais seguro para tomar decisões. “Tenho todo o planejamento em mãos ao longo do ano, o que me dá segurança para investir”, relata.

Júlio ressalta que o gerenciamento de um negócio rural passa pela necessidade de conhecer a realidade da fazenda. “Não existe consultoria sem gestão. Todas as decisões gerenciais estão alinhadas com os indicadores técnicos e econômicos extraídos da plataforma Educampo Sebrae”.