Como utilizar a análise econômica na escolha de vacas para descarte

Para o adequado descarte de vacas em lactação é necessário, além da criteriosa avaliação de fatores históricos de sanidade, reprodução, genética etc., a análise de informações econômicas, evitando decisões equivocadas que poderiam levar a um impacto negativo na produção e, consequentemente, perdas econômicas.

Um bom exemplo de informação a ser analisada é a produção de leite por vaca, que calcula o potencial de geração de renda de cada indivíduo. Por isso, é muito importante a realização do controle leiteiro individual. Ao saber a receita gerada por vaca e, ao confrontá-la com o custo médio por animal em produção, tem-se um indicativo se vale a pena, ou não, manter determinada matriz no rebanho.

Nesse sentido, a Renda bruta do leite por vaca em lactação é o indicador do Educampo que representa o quanto uma vaca gera de receita ao ano. O cálculo é bem simples: uma multiplicação entre a produção por vaca, o preço do leite e o total de dias do ano (365). Observe o exemplo abaixo, que utiliza dados médios das fazendas da plataforma:

 

Tabela 1 – Indicadores médios anuais de 456 propriedades participantes da Plataforma Educampo Leite.

Fonte: Sebrae Minas. Dados econômicos corrigidos pelo IGP-DI de maio/2019.

 

Observe que as propriedades obtiveram, em média, uma renda bruta de R$ 10.945,76/Cabeça/ano:

Renda bruta por vaca (R$/Cab./ano): 18,98 x 1,58 x 365 = R$ 10.945,76

Ao avaliar o custo médio operacional (despesas com concentrado, volumoso, energia elétrica, medicamentos, etc.) por vaca, para haver retorno econômico a renda bruta por animal deve ser maior que o custo. Sendo assim, considerando o exemplo acima, cujo custo médio é R$8.382,52/Cab./ano, o desejável seria manter no rebanho as vacas com a produtividade média ao longo da lactação acima de 14,54 L/dia. Este resultado é obtido através do cálculo:

Custo operacional efetivo por vaca ÷ número de dias do ano ÷ preço do leite

R$ 8.382,52 ÷ 365 ÷ 1,58 = 14,54 L/dia

Animais que apresentarem uma produção de leite média diária inferior ao valor encontrado pelo resultado do cálculo acima devem ser monitorados e, no momento que se fizer necessário um descarte de matrizes na propriedade, serem avaliados, visto que representam uma margem bruta negativa. Esta representa o saldo monetário que o animal gera ao produtor, após descontar todos os custos de desembolso direto (concentrado, volumoso, energia elétrica, medicamentos etc.).

Portanto, é recomendado avaliar se no rebanho há vacas passíveis de descarte considerando sempre, além dos fatores zootécnicos históricos (sanidade, reprodução, genética etc.), a eficiência econômica dos animais, contribuindo para estratégias que resultem em resultados técnicos e econômicos cada vez mais eficientes.